Um novo golpe na oferta de emprego está oferecendo dinheiro para que os candidatos sigam canais no YouTube
9 de Junho de 2023

Um novo golpe de emprego está circulando oferecendo dinheiro em troca de seguir canais no YouTube ou curtir vídeos na plataforma.

Os criminosos se passam por representantes de agências conhecidas de segmentos como relações públicas ou criação de conteúdo, oferecendo altos valores para um trabalho que pode ser realizado diretamente pelo celular - mas é considerado ilegal.

Os salários oferecidos são altos em troca de pouca dedicação, com o emprego sendo oferecido como um bom caminho para gerar renda extra.

Os bandidos oferecem de R$ 500 a R$ 8.000 por dia, de acordo com o tempo que o usuário passa realizando as tarefas solicitadas pelo suposto empregador.

Os golpistas alegam que marcas estão em busca de maior engajamento por meio do esquema, mas isso vai contra os termos de uso do YouTube e outras plataformas ou redes sociais.

Listas de canais a serem seguidos são postadas diariamente em um grupo no Telegram, com o falso salário sendo recebido diariamente via Pix.

Esse golpe já foi utilizado em nome de marcas como Magazine Luiza ou Amazon em outros golpes envolvendo falso emprego para roubo de dados e dinheiro, mas agora ganhou uma nova abordagem.

A oferta direta de uma vaga de emprego em nome de agências de relações públicas ou criação de conteúdo conhecidas é feita em um momento em que o setor, assim como o de tecnologia, também passa por ondas de demissões.

A campanha mal-intencionada não durou muito tempo e o grupo no Telegram que reunia quem aderiu à proposta foi banido.

É importante lembrar que se uma oferta parece boa demais para ser verdade, ela provavelmente é mentira.

Os bandidos se aproveitam de uma situação de crise econômica e dificuldades financeiras para aplicar golpes e obter informações a serem usadas em fraudes.

O ideal é ignorar os contatos e não clicar em links suspeitos, entrando em contato com o RH das empresas citadas caso acredite que a proposta é real, mas não tenha certeza disso.

Usar antivírus e outros softwares de segurança no PC e smartphone também ajuda na proteção.

As empresas cujos nomes são usados nesses golpes podem contatar redes sociais e mensageiros como Telegram ou WhatsApp, com informações que ajudem no bloqueio de contas e grupos relacionados à fraude.

Medidas jurídicas também podem ser buscadas, além do registro de um boletim de ocorrência.

Publicidade

Aprenda hacking e pentest na prática com esse curso gratuito

Passe por todas as principais fases de um pentest, utilizando cenários, domínios e técnicas reais utilizados no dia a dia de um hacker ético. Conte ainda com certificado e suporte, tudo 100% gratuito. Saiba mais...