O Hospital Infantil Lurie desativou os sistemas após um ciberataque
5 de Fevereiro de 2024

O Hospital Infantil Lurie, em Chicago, foi forçado a desligar seus sistemas de TI após um ataque cibernético, interrompendo as operações normais e atrasando a atenção médica em alguns casos.

O Lurie Children's é um hospital de atendimento agudo pediátrico, com sedes em Chicago, 360 leitos, 1.665 médicos cobrindo 70 subespecialidades, e 4.000 funcionários médicos e funcionários.

É um dos hospitais pediátricos mais importantes do país, fornecendo atendimento para mais de 200.000 crianças anualmente.

Ontem, o hospital anunciou em seu site e nas redes sociais que está ativamente respondendo a um incidente de segurança cibernética, o que resultou infelizmente na desativação dos sistemas de rede para prevenir a propagação do ataque.

"O Lurie Children's está respondendo ativamente a um assunto de segurança cibernética", divulgou o Hospital Infantil Lurie ontem.

"Estamos levando isso muito a sério, estamos investigando com o apoio de especialistas líderes e estamos trabalhando em colaboração com as agências de segurança.

Como parte de nossa resposta a este assunto, tiramos os sistemas de rede do ar", divulgou o Hospital Infantil Lurie ontem.

A provedora de saúde anteriormente declarou que o incidente impactou a internet do hospital, o email, os serviços telefônicos e a capacidade de acessar a plataforma MyChat.

Aconselhou-se aqueles sofrendo de uma emergência de saúde a discar 911 ou visitar o departamento de emergência mais próximo.

"Como a principal provedora de cuidados pediátricos em Illinois, nossa prioridade é continuar fornecendo atendimento seguro e de qualidade para nossos pacientes e as comunidades que atendemos", continua o anúncio do hospital.

"O Lurie Children's está aberto e atendendo aos pacientes com o mínimo de interrupções possível."

A mídia local relata que procedimentos agendados foram adiados devido ao ataque cibernético, resultados de ultrassom e tomografia computadorizada estão indisponíveis, e as prescrições estão sendo feitas em forma de papel.

Além disso, o hospital voltou a seguir uma abordagem de primeiro a chegar, primeiro a ser atendido, priorizando situações de emergência.

No momento da redação deste artigo, nenhuma grande gangue de ransomware assumiu a responsabilidade pelo ataque ao Hospital Infantil Lurie.

Apesar das chamadas diretrizes estabelecidas pelos operadores do ransomware, que instruem os afiliados a se absterem de atacar hospitais, várias gangues de ransomware ignoram essas políticas e continuam a atacar organizações de saúde.

Isso ocorre porque eles não se importam em cumprir essas políticas ou porque essas diretrizes são apenas uma fachada para mascarar sua busca incessante de ganho financeiro.

Dois exemplos recentes disso são os ataques à rede de hospital da Capital Health e ao Hospital Saint Anthony nos EUA, e aos hospitais da Katholische Hospitalvereinigung Ostwestfalen (KHO) na Alemanha, todos conduzidos pela operação de ransomware Lockbit, que afirma ter políticas estritas que impedem ataques a hospitais.

Publicidade

Já viu o Cyberpunk Guide?

Imagine voltar ao tempo dos e-zines e poder desfrutar de uma boa revista contendo as últimas novidades, mas na pegada hacking old school.
Acesse gratuitamente o Cyberpunk Guide e fique por dentro dos mais modernos dispositivos usados pelos hackers. Saiba mais...