Desenvolvedor do jogo STALKER 2 é hackeado por hacktivistas russos e dados são roubados
14 de Março de 2023

A GSC Game World, desenvolvedora do altamente aguardado jogo 'STALKER 2: Heart of Chornobyl', alertou que seus sistemas foram invadidos, permitindo que atores de ameaças roubassem ativos do jogo durante o ataque.

A editora ucraniana de jogos afirma que uma "comunidade de uma rede social russa" estava por trás do ataque e está chantageando a empresa ameaçando liberar dados do Stalker 2, que deve ser lançado ainda este ano.

"Recentemente, a conta de nosso funcionário em um aplicativo de trabalho coletivo com imagens foi hackeada. A responsabilidade por isso foi reivindicada por uma comunidade de uma rede social russa", diz a declaração postada no Twitter.

"Eles estão ameaçando usar os dados obtidos para chantagem e intimidação. Esta não é a primeira tentativa de hackear e vazar nossos dados, incluindo informações pessoais. Temos enfrentado constantes ciberataques por mais de um ano agora."

A GSC Game World diz que este é apenas um dos muitos hacks, chantagens e agressões cibernéticas que tem sofrido no último ano, visando colocar obstáculos no processo de desenvolvimento do jogo e prejudicar sua reputação.

A empresa enfatiza que essas tentativas são fúteis, já que seus funcionários regularmente enfrentam situações muito mais difíceis devido às condições de guerra prevalecentes no país.

A empresa pede à comunidade que não assista ou redistribua quaisquer vazamentos de dados que possam aparecer online e afirma que os dados roubados pelos hackers russos dizem respeito principalmente a materiais desatualizados e em andamento que não são representativos da qualidade do produto final.

"Encorajamos você a ter paciência e esperar pelo lançamento oficial para a melhor experiência possível", diz o comunicado da empresa.

Os hackers postaram uma mensagem na plataforma de mídia social russa VK, alegando terem roubado uma "vasta quantidade de material STALKER 2", incluindo toda a história, descrições de cenas cortadas, arte conceitual, mapas globais e muito mais.

Amostras disso já foram divulgadas como prova das alegações de violação de dados, mas a maioria foi retida para ser usada para extorquir a editora de jogos.

Mais especificamente, os hackers exigem as seguintes três coisas da GSC Game World:
Reconsiderar sua atitude em relação aos jogadores da Bielo-Rússia e da Rússia.
Revogar a proibição do usuário 'NF Star' do canal oficial do Discord do jogo.
Introduzir localização russa para o próximo jogo, se não no lançamento, pelo menos como um complemento.

"Não queremos o cancelamento ou adiamento do jogo, especialmente diante do sucesso de Atomic Heart, que não é respeitado em nosso grupo", diz a mensagem dos hackers à empresa.

"Não arruine o prazer das pessoas no jogo por causa de política", concluem os hackers.

Os hackers estão dando à editora de jogos até 15 de março para mudar sua postura em relação aos jogadores russos e bielo-russos.

Caso contrário, afirmam que vazarão dezenas de gigabytes de dados roubados dos sistemas da empresa.

Publicidade

Já viu o Cyberpunk Guide?

Imagine voltar ao tempo dos e-zines e poder desfrutar de uma boa revista contendo as últimas novidades, mas na pegada hacking old school.
Acesse gratuitamente o Cyberpunk Guide e fique por dentro dos mais modernos dispositivos usados pelos hackers. Saiba mais...