Depois de ficar fora do ar, o Itaú nega ataque cibernético e normaliza seus sistemas
9 de Agosto de 2023

O Itaú negou a ideia de que um ataque cibernético teria causado a grande instabilidade enfrentada por seus clientes ao longo de segunda-feira (7).

Os sistemas do banco estiveram inacessíveis durante todo o dia, inclusive nas agências, com um comunicado da empresa indicando que o incidente não foi resultado de um golpe digital.

As plataformas da instituição iniciaram a terça-feira (8) funcionando normalmente, e o atendimento presencial também continuou sem maiores problemas nas agências.

De acordo com as redes sociais do banco, os sistemas foram restaurados durante a madrugada, com operações e consultas voltando a ficar completamente disponíveis na noite de segunda-feira.

Durante o período em que o Itaú ficou inacessível, no entanto, não era possível realizar pagamentos, verificar extratos ou fazer transferências via Pix, o que levou muitos clientes a cogitarem nas redes sociais a possibilidade de um golpe cibernético.

Em um comunicado oficial emitido sobre o assunto, a instituição deixou claro que não sofreu ataque externo e que os dados dos clientes estavam seguros.

A instabilidade no app do Itaú ocorreu justamente no quinto dia útil de agosto, uma data tradicional de pagamento de salários e momento em que muitos clientes pagam suas contas mensais.

Com todas as operações bloqueadas, o caso também gerou preocupações em relação ao atraso no pagamento de boletos e dificuldades no recebimento de valores.

Em novo contato com o Canaltech, o Itaú confirmou que todos os sistemas do banco estão funcionando normalmente nesta terça-feira (8).

A empresa citou causas internas como a razão para os problemas no início da semana, sem dar mais detalhes.

Em meio aos problemas, mensagens fraudulentas enviadas pelo WhatsApp aproveitaram a situação para aplicar golpes.

Em uma alternativa comum de phishing, a falsa comunicação em nome do banco alertava sobre o bloqueio de uma transferência de alto valor pelo Pix, com direito até mesmo a dados pessoais do cliente e de um suposto celular no qual a operação estaria sendo realizada.

Em momentos de instabilidade como os registrados ontem, as medidas de proteção contra golpes desse tipo são reforçadas.

O ideal é sempre desconfiar de contatos que se apresentem como bancos ou instituições financeiras, especialmente se ocorrerem por mensagem ou e-mail.

Da mesma forma, a recomendação é não clicar em links nem baixar aplicativos enviados por esses meios.

Senhas bancárias ou de acesso a aplicativos nunca devem ser compartilhadas, e contatos de conhecidos ou familiares pedindo transferências via Pix sempre devem ser confirmados.

Desconfie da cobrança de taxas durante períodos de indisponibilidade ou após supostas transferências indevidas e, em caso de dúvida, procure o atendimento oficial da empresa.

Publicidade

Aprenda hacking e pentest na prática com esse curso gratuito

Passe por todas as principais fases de um pentest, utilizando cenários, domínios e técnicas reais utilizados no dia a dia de um hacker ético. Conte ainda com certificado e suporte, tudo 100% gratuito. Saiba mais...