Brasil continua na lista dos países mais visados por hackers
20 de Dezembro de 2023

Outubro registrou mais de 14,3 bilhões de ataques cibernéticos e um acumulado nos dez primeiros meses do ano de 136 bilhões e 656 milhões de ameaças bloqueadas.

Isso representa 93% do total de registros do ano passado.

O Brasil continua sendo um dos principais alvos do cibercrime, ocupando em setembro e outubro a quarta posição no ranking de nações mais atingidas por malware, com 4,6% e 4,8% dos ataques, respectivamente.

A lista em outubro continuou sendo liderada pelo Japão (22,7%), seguido dos Estados Unidos (16,7%), com a Índia (5,4%) em terceiro lugar e a Alemanha (4,2%) completando o top 5.

Os dados da Trend Micro mostram flutuação nas ameaças de ransomware em 2023.

Em outubro, foram detectados 1 milhão 791 mil ataques do tipo, a segunda maior incidência no ano, acumulando em 2023 um total de 12 milhões 824 mil casos.

A Tailândia tem mostrado, desde julho, uma liderança destacada nas ameaças de ransomware, com 77,3% dos registros em outubro, seguida de longe pelos Estados Unidos com 6,6% e pela Turquia, com 4,3% do total.

Taiwan (1,4%) e Índia (1%) completam a lista.

Uma queda consistente nas taxas de detecção de malware é observável em vários setores, de janeiro a outubro de 2023, principalmente nos domínios empresariais e de usuários domésticos.

No entanto, as pequenas e médias empresas mostraram um aumento transitório a partir de março.

Esses padrões exigem a melhoria das práticas de segurança cibernética para reduzir as ocorrências.

Leia isso: Carregador de malware já afeta 9% das organizações no Brasil.

Brasil e México foram os que mais demitiram em cibersegurança.

"À medida que as pequenas e médias empresas [PMEs] adotam novas tecnologias em suas jornadas de transformação digital, os riscos aumentam e elas se tornam alvos fáceis.

O trabalho híbrido, a migração para a nuvem e a adoção de plataformas SaaS exigem um aumento da resiliência cibernética e a implementação de ferramentas de detecção e prevenção de ameaças", recomenda Cesar Candido, diretor geral da Trend Micro Brasil.

As ameaças por e-mail foram proeminentes em outubro nos Estados Unidos (36%), Alemanha (5,1%), França (4,6%), Rússia (4,2%) e Holanda (4%).

A tendência no envio de anexos maliciosos via spam apresentou um aumento notável de janeiro a junho, seguido por uma queda de julho a setembro, com um pequeno aumento em outubro.

Os números atingiram um pico de quase 4 milhões de registros em junho, experimentando uma queda contínua desde então, com uma retomada em outubro quando foram registrados pouco mais de 1 milhão de bloqueios do tipo.

De acordo com a análise dos pesquisadores da Trend Micro, os principais tipos de anexos de spam bloqueados foram arquivos PDF, DOCX, EXE, HTML e RTF, nessa ordem.

Publicidade

Hardware Hacking

Aprenda a criar dispositivos incríveis com o especialista Júlio Della Flora. Tenha acesso a aulas prática que te ensinarão o que há de mais moderno em gadgets de hacking e pentest. Se prepare para o mercado de pentest físico e de sistemas embarcados através da certificação SYH2. Saiba mais...