App Store tem U$ 7 bilhões em compras bloquedas
16 de Maio de 2024

A tecnologia antifraude da Apple bloqueou mais de 7 bilhões de dólares em transações potencialmente fraudulentas em quatro anos, afirma a empresa em sua mais recente análise anual de prevenção à fraude.

De 2020 a 2023, a empresa também detectou mais de 14 milhões de cartões roubados e os bloqueou para transações em sua plataforma, juntamente com 3,3 milhões de contas.

As estatísticas do ano passado mostram que a Apple impediu 1,8 bilhão de dólares em transações suspeitas, um valor ligeiramente inferior aos 2 bilhões de dólares bloqueados em 2022.

O relatório também destaca que a Apple impediu ao longo de 2023 o uso de 3,5 milhões de cartões de crédito roubados para compras feitas em sua App Store e proibiu mais de 1,1 milhão de contas de realizarem novas transações.

Em termos de segurança de apps e aplicação da política de privacidade, a Apple rejeitou no ano passado mais de 1,7 milhão de submissões de apps que não atendiam aos padrões da App Store para privacidade, segurança e conteúdo.

Dentre estes, 248.000 foram rejeitados por serem spam, imitações ou por enganarem os usuários, 38.000 foram recusados por conterem recursos ocultos ou não documentados, 375.000 foram recusados por diversas violações de privacidade, 47.000 foram rejeitados por serem apps ilegítimos de lojas piratas, 40.000 foram removidos ou rejeitados por empregarem táticas de "isca e troca", e 98.000 foram considerados "potencialmente fraudulentos" e foram bloqueados proativamente.

O App Review team, que conta com 500 especialistas, examinou 6,9 milhões de submissões de apps em 2023 e descobriu violações que levaram à rejeição de 1,7 milhão de solicitações.

Adicionalmente, a Apple terminou o ano passado desativando 118.000 contas e recusando outras 91.000.

Contas de clientes também foram encontradas como fraudulentas (153 milhões) ou envolvidas em atividades ilegais (374 milhões), o que levou ao bloqueio ou desativação das mesmas.

Por fim, dos 1,1 bilhão de avaliações e resenhas de apps que os usuários enviaram para a App Store em 2023, 152 milhões foram consideradas falsas/fraudulentas e foram removidas.

A Apple expressou um forte comprometimento em continuar e ampliar seus esforços para garantir a segurança e integridade da App Store, investindo em segurança, expandindo suas iniciativas antifraude e reforçando ainda mais suas tecnologias de pagamento seguro como o Apple Pay e o StoreKit.

Entretanto, os usuários também podem tomar medidas para se protegerem de fraudes.

Nesse contexto, é aconselhável:

-Apenas baixar apps da App Store oficial, evitando lojas de apps de terceiros mal avaliadas ou sites duvidosos.

-Ler cuidadosamente as resenhas dos usuários e procurar sinais de fraude, como classificações suspeitosamente altas com poucas resenhas detalhadas.

-Usar apenas software de desenvolvedores reputáveis que tenham um portfólio de projetos confiáveis.

-Prestar atenção às permissões que o app solicita e rejeitar aquelas desnecessárias.

-Atualizar regularmente o sistema operacional do seu dispositivo e os apps para as versões mais recentes.

-Remover apps que você não usa mais e revogar permissões para apps que não está utilizando.


Entretanto, apesar das políticas rígidas para a inclusão de apps na App Store, alguns atores de ameaças ainda conseguem burlar os mecanismos de revisão e inserir apps maliciosos.

Este ano, houve dois casos de alto perfil de apps falsos adicionados ao repositório da Apple, um imitando o gerenciador de senhas LastPass e outro se passando pela carteira de criptomoedas Leather.

Publicidade

Aprenda hacking e pentest na prática com esse curso gratuito

Passe por todas as principais fases de um pentest, utilizando cenários, domínios e técnicas reais utilizados no dia a dia de um hacker ético. Conte ainda com certificado e suporte, tudo 100% gratuito. Saiba mais...