A Alemanha derruba mercado de cibercrime com mais de 180.000 usuários
4 de Março de 2024

A Polícia de Düsseldorf, na Alemanha, apreendeu o Crimemarket, uma enorme plataforma ilícita de negociação em língua alemã com mais de 180 mil usuários, prendendo seis pessoas, incluindo um de seus operadores.

Conhecido como Crimemarket, era o maior mercado de cibercrime do país e um centro para a negociação de drogas ilegais, narcóticos e serviços de cibercrime, além de hospedar tutoriais/guias para a realização de vários crimes.

Essa ação das forças da ordem resultou de anos de investigações e inúmeras buscas que produziram evidências que levaram à identificação dos operadores da plataforma e de muitos usuários.

"Em uma campanha contínua, investigadores de toda a Alemanha e do exterior agiram contra a maior plataforma criminal de língua alemã na Internet na quinta-feira à noite", lê-se em um anúncio traduzido automaticamente.

Como parte da operação, 102 mandados de busca foram executados em todo o país simultaneamente na noite de 29 de fevereiro de 2024.

O comunicado à imprensa diz que o foco estava principalmente no estado de Renânia do Norte-Vestfália, onde três pessoas foram presas, incluindo um homem de 23 anos considerado o principal suspeito.

Outras três pessoas foram presas em outros estados federais.

"A polícia apreendeu várias peças de evidência, especialmente celulares, dispositivos de TI e portadores de dados.

Em 21 casos, policiais na Renânia do Norte-Vestfália apreenderam narcóticos, incluindo 1 quilo de maconha e diversos comprimidos de êxtase.

No total, quase 600 mil euros em dinheiro e bens móveis foram apreendidos", diz um comunicado à imprensa traduzido.

"No total, mais três pessoas foram presas em medidas policiais em outros estados federais, que foram iniciadas pela polícia lá."

A polícia alemã diz que a operação tem como alvo não apenas os operadores da plataforma Crimemarket, mas também seus usuários, e a investigação continua.

De acordo com relatos de usuários, o mercado de cibercrime começou a ter problemas de acessibilidade no início desta semana, com muitos relatando uma incapacidade de fazer login, embora o site tenha permanecido online.

Surgiram rumores de que a interrupção intermitente resultou do colapso do ChipMixer, que a plataforma usava como provedor de serviços de lavagem de pagamentos.

Alguns alegaram que as investigações na infraestrutura apreendida do ChipMixer podem ter exposto o administrador do Crimemarket, 'Evolution'.

Com o anúncio da polícia hoje, fica claro que os problemas de acessibilidade ao site foram de fato causados pela aplicação da lei e não relacionados a um problema técnico.

Curiosamente, a página inicial do site ainda está disponível no momento da redação deste relatório, embora a tentativa de visitar qualquer outra página do domínio mostre o seguinte aviso de apreensão, mostrado abaixo.

A nota menciona que a polícia "monitorou essa plataforma e seu conteúdo durante um longo período como parte de uma operação coordenada em toda a Europa e confiscou os dados."

Também, a BleepingComputer descobriu que o espaço do fórum onde os vendedores se conectam com os compradores estava ativo até ontem, com novos posts adicionados.

Com base no acima exposto e na faixa de apreensão, parece que a polícia optou por permitir que os cibercriminosos continuassem usando a plataforma após a apreensão (ou comprometimento) para coletar dados de identificação, credenciais de login e outras informações incriminatórias.

Publicidade

Cuidado com o deauth, a tropa do SYWP vai te pegar

A primeira certificação prática brasileira de wireless hacking veio para mudar o ensino na técnica no país, apresentando labs práticos e uma certificação hands-on.
Todas as técnicas de pentest wi-fi reunidos em um curso didático e definitivo. Saiba mais...