Herdeiro da Samsung é libertado da prisão

O executivo Lee Jae-yong, tinha sido condenado á cinco anos de prisão por corrupção. O caso agravou a raiva do público contra as maiores empresas do país, conhecidas como chaebols, e sua influência na sociedade em geral.

Na audiência de segunda-feira, o tribunal cortou a sentença original de Lee para dois anos e meio – e suspendeu a sentença por acusações, incluindo suborno e desfalque, o que significa que ele não precisa servir mais tempo de prisão.

A Samsung Electronics é considerada a joia da coroa do conglomerado do Grupo Samsung, que é constituída por 60 empresas interligadas. Lee, efetivamente dirigiu operações no celular e fabricante de chips, já que seu pai, Lee Kun-hee, foi incapacitado por um ataque cardíaco em 2014.

O presidente da Coréia do Sul, Moon Jae-in, conquistou o cargo fazendo campanha para limpar o poderoso setor chaebol na Coréia. Mas muitos verão a decisão do tribunal como efetivamente um cartão de saída da prisão para Lee que vai contra tudo o que o presidente representava.

Momento em que o Lee Jae-yong sai da prisão:

 

Do que ele foi acusado?

O executivo de 49 anos foi acusado de dar doações no valor de 41 bilhões de won (US$ 37,7 milhões) para fundações sem fins lucrativos operadas por Choi Soon-sil, uma amiga da ex-presidente da Coréia do Sul, Park Geun-hye, em troca de favores políticos.

Os promotores disseram que as doações foram feitas à confidente de Ms. Park para ganhar o apoio do governo para uma grande reestruturação da Samsung, que fortaleceria o controle de Lee sobre a Samsung Electronics.

Leia mais:
https://www.dn.pt/mundo/interior/tribunal-sul-coreano-liberta-herdeiro-da-samsung-envolvido-em-escandalo-da-ex-presidente-9097797.html